Estratégias de marketing de conteúdo, como estabelecer as suas?

estratégias de marketing de conteúdo

Com o uso cada vez maior da internet a forma de consumir mudou. É fundamental que as empresas pensem nas várias maneiras de usar as ferramentas disponíveis para conseguir atingir o seu cliente. Isso, através de metas e objetivos bem definidos, e isso inclui ações e estratégias de o marketing de conteúdo.

Porém, antes de criar qualquer tipo de conteúdo temos que entender certos elementos. Seja para blogs, Facebook, Instagram ou outros, é fundamental que alguns fatores sejam levados em consideração. Desta forma é essencial analisar o público que irá “consumir” esse conteúdo.

Através do comportamento dessas pessoas, das suas atividades rotineiras e gostos pessoais, é possível saber exatamente que assuntos podem ser abordados. E desta forma, que sejam de seus interesses. Pois muito além de falar da marca, as empresas precisam entender que os usuários estão muito mais interessados em conteúdo. isso inclui saber sobre benefícios do que a parte técnica ou a venda direta.

É fundamental pensar nos posts a serem publicados de maneira estratégica. Eles precisam mostrar uma curiosidade, algo interessante, soluções e humor. Com isso, a empresa se faz presente na vida daquela pessoa de maneira efetiva.

Um bom exemplo a ser seguido é da Nike. Apesar de vender artigos esportivos como o tênis, em suas redes ela costuma explorar sempre o estilo de vida de quem pratica esporte. Isso, sem falar sobre as características dos seus produtos.

Estabeleça estratégicas de marketing de conteúdo duradouras e funcionais para seu negócio!

O primeiro passo a saber na hora de formular boas estratégias de marketing de conteúdo é a relevância dos assuntos abordados, é necessário responder a seguinte pergunta: Como ele contribui para a minha estratégia?

Por essa razão é imprescindível escolher os assuntos certos para o seu público-alvo e para isso é necessário estabelecer objetivos próprios para cada um deles. Por exemplo, suponha que um dentista trabalhe apenas com o público infantil. Nesse caso, é necessário que ele atinja os pais, pois eles são os responsáveis por fazer essa escolha para os seus filhos.  Isto tem que ser pensado quando forem traçadas as estratégias de marketing de conteúdo. 

 

estratégias de marketing de conteúdo

 

Para cada um dos assuntos abordados nas suas redes é necessário estabelecer metas individuais. Um exemplo é o conhecimento da marca, aumento na visita do site, etc.

Essas atitudes serão responsáveis por estabelecer estratégias de marketing de conteúdo. Porém, essas metas individuais precisam ser realistas.

Metas a serem levadas em consideração ao escolher as estratégias de marketing de conteúdo

De uma maneira geral, independente do seu negócio, as metas para cada post são praticamente as mesmas. Um dos pontos fundamentais é a questão dos objetivos organizacionais. Portanto, ao escolher os assuntos que você irá abordar é necessário saber de que maneira eles se integram às metas gerais da empresa, bem como estabelecer as métricas para cada uma delas, tais como:

1 – Reconhecimento de marca:

Se o objetivo da companha for alcançar um reconhecimento maior junto ao público, e isso é muito frequente entre empresas que sejam novas no mercado. O objetivo do seu conteúdo deverá gerar tráfego de referência ou compartilhamentos sociais. Nesse caso, a dica é investir naqueles assuntos voltados para conseguir backlinks (ou seja, links que apontam para o seu site ou blog). Nesse caso, o tipo de marketing de conteúdo mais recomendado são os guest posts, infográficos, skyscraper ou posts de recomendação.

2 – Geração de leads:

Para esses casos a meta do conteúdo deverá ser assinaturas para demonstração de um produto ou preenchimento de formulários. Tudo que leve o cliente a informar o seu e-mail para que a empresa consiga montar uma base de dados de envio de newsletters.

Para esses casos, um dos conteúdos mais recomendados são as chamadas “recompensas digitais”. Podem ser e-books, estudos de casos ou documentos mais técnicos voltados para a área de atuação da empresa.

3 – Engajamento:

A meta de muitas marcas é ver os seus seguidores/clientes participando mais ativamente das suas publicações. Se esse for o objetivo da companhia, o conteúdo precisa priorizar a obtenção de compartilhamentos, curtidas e visualizações.

Nesse caso, o recomendado é contar um pouco a história da marca e criar assuntos que gerem interesse na comunidade que segue a empresa. Por exemplo, o Evernote é um aplicativo ligado a produtividade e também a organização, sendo que nas redes ele é conhecido justamente por possuir um grande engajamento por parte dos seus seguidores.

Sua série “taking notes” (no qual ele conta mais sobre as várias maneiras de tomar nota) um dos cases mais bem-sucedidos quando o assunto é engajamento.

Faça conteúdos ligados aos estágios de compras

Esse é considerado um dos maiores desafios na hora de produzir conteúdo relevante para a sua audiência. O segredo na hora de criar o conteúdo certo para a pessoa certa é justamente conhecer muito bem cada uma dessas fases de compra.

Existem ao todo três etapas típicas no processo de venda de um produto ou serviço, são elas:

1 – Reconhecimento:

Nesse momento as pessoas identificam um problema, e procuram soluções para eles, que pode vir da sua empresa. É nesse momento que os usuários começam a sua busca, ou que as empresas apresentam a eles soluções que eles nem sabiam que precisavam. Ao optar por determinada empresa, essas pessoas acabam indo para o nível seguinte.

2 – Avaliação:

Nesse momento, o consumidor já conhece a sua empresa e também os seus produtos ou serviços. Mas ele deseja saber se a sua companhia é a melhor escolha e se ela é capaz de atender ele de uma maneira mais completa. Provavelmente você será comparado com outra empresa do mesmo segmento.

3 – Compra:

Essas pessoas que se encontram nessa etapa já estão prontos para realizarem a compra.

Entendido essas fases, é a vez de criar conteúdo segmentado para cada uma delas, fazendo isso, a sua marca garante relevância para os consumidores nos diferentes estágios.

Ao analisar todo o processo de criação de estratégia de marketing de conteúdo, a palavra-chave é sempre ter relevância para as pessoas que irão acessá-lo. Atualmente, existe uma quantidade enorme de informações, e as pessoas são bombardeadas a todo o momento. O grande desafio das empresas é se destacar nesse momento decisivo, que vai impactar sem dúvida a escolha do cliente.

 

Tem alguma sugestão ou dúvida? Entre em contato conosco!

 

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

Gestão de leads, como fazer em sua empresa!

gestão de leads

Há algum tempo atrás o termo gestão de leads era algo muito comum dos Estados Unidos, mas no Brasil o assunto ainda era pouco discutido e comentado, cenário totalmente diferente do que temos atualmente.

Hoje em dia, o sucesso de qualquer companhia, seja ela grande ou pequena, sem dúvida passa pela execução de uma boa gestão de leads, afinal, o processo de compra do consumidor passa por algumas etapas importantes, sendo necessário que a empresa dê sempre a devida atenção para cada uma delas. Mas existe um ponto em comum em todas as etapas, as pessoas sempre estão em busca de informações relevantes e que sejam realmente importantes para elas.

O resultado é muito simples, quanto mais conteúdo relevante for produzido pela empresa, maior as suas chances de ser escolhida pelo cliente, e como mencionado acima, isso vale para todos os momentos do processo de compra.

Nesse momento entra a gestão de leads, por essa razão, um bom programa é fundamental, sendo que ele precisa cumprir algumas funções básicas como.

 

Gestão de leads, começando pelo básico!

 

  • Aumentar as oportunidades para a equipe de vendas com a diminuição da fricção do funil de vendas.
  • Ajuda a reter e atrair os potenciais clientes, para que eles realizem a compra no momento mais acertado, isso acaba evitando o embate do “tudo ou nada”, pois a empresa acabará criando uma relação de confiança.
  • O ciclo de vendas acaba passando por um encurtamento, devido ao estímulo feito aos leads.
  • Aumento da retenção de clientes, ou seja, eles acabam ficando fidelizados mesmo após a venda, podendo a vir fazer negócio novamente com a empresa em um outro momento.

Ao englobar todas essas ações, pode-se dizer que a empresa possui uma boa gestão de leads, sendo que esses são os principais passos para quem deseja implantar na sua empresa. É importante pensar sempre que a missão da gestão de leads deve ser identificar os estágios pelos quais os potenciais clientes estão passando naquele momento, alinhar todos esses dados e entregar o conteúdo certo na hora certa. Porém, antes mesmo de pensar na sus gestão, a empresa precisa saber identificar muito bem o que é um lead.

 

Afinal, como o lead pode ser definido?

 

Mas afinal, o que são leads?

Todo empreendedor deve pensar no lead como uma oportunidade de negócio, pois trata-se de uma pessoa que forneceu espontaneamente informações importantes sobre si, como nome, e-mail, telefone, etc., sendo que na maioria das vezes, ele só se concretiza quando a companhia oferece algum tipo de recompensa, seja um e-book, promoções, amostras grátis, etc.

 

gestão de leads

 

Na prática, isso significa que o lead já demonstrou em algum momento interesse pelo que você tem a oferecer, sendo que ele deseja saber mais sobre o que você tem a dizer, uma mina de ouro que não deve ser desperdiçada. Vale lembrar que essa pessoa também poderá ser abordada pela equipe de venda, desde que no momento certo, deixando de ser um potencial cliente e se transformando em um cliente de fato.

Dentro do funil de venda, o lead se encontra na parte do meio, no converter e relacionar, ou seja, ele pode ser conseguido no momento em que ele testa um novo software, quando liga para a empresa a fim de receber mais informações, deixa um comentário, enfim, vários são os momento.

Qual o motivo para gerar leads no lugar de vender por vender?

Muitas empresas ainda cometem o erro de vender por vender, sem se preocupar em estabelecer uma relação mais duradoura com os seus clientes, conseguido através da geração de leads. Para se ter uma ideia, de acordo com pesquisas recentes, apenas 3% das pessoas se mostram realmente interessadas em um determinado produto. Sendo que 30% dos potenciais clientes acreditam que não têm interesse e o mesmo percentual acredita que não está interessado. Esta é uma das vantagens do inbound marketing!

A principal resposta das empresas para essa conclusão apresentada anteriormente é começar a mostrar todas as vantagens do produto e tudo o que ele pode fazer para atender melhor todas as suas necessidades, só que ao contrário do que se pensa, provavelmente 90% dessas pessoas irão simplesmente ir embora.

Por essa razão é tão importante oferece produtos realmente relevante para o seu público-alvo, seja através de posts nos blogs, redes sociais, sites, etc., é necessário oferecer sempre algo interessante para que a pirâmide continue ouvindo e atenta ao que você tem para falar.

E para ajudar nessa estratégia é que existe as campanhas de geração de leads, pense da seguinte maneira, se você tiver um blog ou site falando exclusivamente de você, a sua mensagem chegará a apenas aquelas pessoas dispostas a ouvir, uma parte muito pequena da pirâmide.

Por que investir em gestão de leads?

 

Se ainda restar alguma dúvida sobre a importância da gestão de leads, ou se você deseja saber como fazer em sua empresa, suponha que você tenha uma boa ação de Inbound Marketing e consiga captar muitos leads, fica a pergunta, e agora? O que fazer com eles e como gerar resultados?

É nesse momento que entra a gestão de leads, muitas caem no erro de enviar promoções sem considerar nenhum tipo de filtro, o resultado, a perda de alguns leads, e outros acabam considerando inclusive como spam, essa atitude além de não ser eficiente, ainda acaba por “queimar” a credibilidade da empresa junto aqueles que um dia confiaram nela.

Portanto, é essencial separar o “joio do trigo”, ou seja, a informação precisa chegar a pessoa certa, na hora certa e da maneira certa, ou seja, se o que você deseja é acionar a equipe de vendas, os leads entregue a ela precisa ser aqueles realmente propensos a fechar a compra, precisa está no momento certo da pirâmide.

De uma maneira geral, para fazer em sua empresa uma boa gestão de leads você precisa:

  • Gerar leads através de ações.
  • Saber coletar essas informações de forma inteligente e estratégica.
  • Implantar um sistema de pontuação para os leads.
  • Nutrir esses leads.
  • Saber como gerar oportunidades de negócios.
  • Otimizar e mensurar as ações colocadas em prática.

Para alguns esse processo pode parecer complexo, mas quando bem feito, pode ser até simples, sendo necessário se preocupar primeiramente no volume e só depois em otimização.

 

Tem alguma dúvida ou sugestão? Entre em contato conosco!

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

Geração de conteúdo para Facebook, 5 regras gerais!

geração de conteúdo para facebook

O Facebook é uma das maiores redes sociais do mundo, não é à toa que muitas empresas investem na rede para aumentar o seu relacionamento com os clientes e fãs da marca. Porém, muitos empreendedores ainda cometem erros comuns de falar apenas da marca, se você deseja ser relevante para os usuários, é muito importante estabelecer uma boa estratégia de marketing de conteúdo. Desta forma, saber como usar adequadamente a geração de conteúdo para Facebook é fundamental!

Na prático isso significa que nem tudo é tão simples quanto parece. De nada adianta criar uma página e esperar que as coisas aconteçam, é necessário alimentá-la sempre com assuntos relevantes para o seu público-alvo, e ter em mente que tudo o que você compartilha deve apresentar uma novidade, ser informativo ou bem-humorado, o segredo é “vender sem vender”. Muitas pessoas tem dúvidas de como usar o marketing de conteúdo e esta é uma delas!

Ou seja, as pessoas não gostam de ficar ouvindo apenas sobre a marca, eles desejam saber o benefício do que você tem a oferecer, como o seu produto ou serviço poderá ajudar a resolver os seus problemas.

 

5 dicas essências para a geração de conteúdo para Facebook com qualidade

 

Na hora de gerar conteúdo de qualidade, o marketing de conteúdo é essencial, afinal, é através dele que a sua marca irá ganhar muito mais credibilidade entre os clientes e potenciais clientes, portanto, é necessário levar em consideração pontos importantes:

  1. Pesquisar e identificar o público

A base do sucesso do conteúdo é escrever o certo para a pessoa certa, ou seja, é necessário conhecer muito bem as pessoas que terão acesso a esse material, e nesse momento é fundamental conhecer o seu público-alvo, uma boa maneira de conduzir esse estudo é elaborar uma persona para os seus negócios, liste todas as características que o seu cliente possui e a partir desse momento, comece a se colocar no lugar dele.

Outras dicas para saber quais são os interesses do seu público é visitar comunidades, analisar as discussões nesses grupos, páginas que o seu público-alvo curti, saber dentro dessas páginas quais foram os conteúdos que mais tiveram resultados, fazer pesquisas entre os seus próprios seguidores (caso já tenha conquistado uma boa base), que pode ser feita através de pesquisas ou perguntas simples.

 

geração de conteúdo para facebook

 

  1. Invista em conteúdo exclusivo para o Facebook

Outras redes como o Instagram tem um botão que permite que o conteúdo de lá seja publicado diretamente na Página do Facebook, mas se você quiser ser realmente relevante para os seus clientes dentro da rede, invista sempre em conteúdos exclusivos, essa atitude além de aumentar o alcance dos posts, ainda incentiva o engajamento. Em muitos casos, é interessante contratar uma agência de conteúdo para o gerenciamento de páginas no Facebook!

As dicas nesse caso é sempre colocar algo visual para chamar a atenção dos fãs, vale lembrar que postagens que contém imagem tem mais chances de causar engajamento. Tenha imagens próprias para o Facebook, crie memes, faça citações através de gráficos, publique vídeos, as possibilidades são inúmeras. Priorize textos curtos, aqueles com 250 caracteres são ideias e contam com 60% mais engajamento.

  1. Saiba divulgar o conteúdo do seu blog

Muitas empresas costumam manter um blog para publicar as novidades, sendo fundamental saber divulgar esse conteúdo de maneira correta, o que ocorre muitas vezes é que ao colar o link na rede, será apresentado uma prévia do conteúdo, mas isso não significa que isso seja suficiente.

É importante sempre priorizar uma boa imagem, um texto curto, a legenda precisa despertar sempre o interesse do leitor em clicar, otimize sempre a descrição, pois na maioria das vezes o Facebook irá pegar as primeiras linhas do seu post, mas você poderá alterar para algo mais interessante.

  1. Estimule sempre o engajamento

O Facebook é mais do que um canal para falar com os clientes, ele é uma rede social, portanto, deve haver sempre uma troca entre marca e clientes, e não algo unilateral. Por essa razão é muito importante ficar sempre atento às mensagens, participar das conversas, e postar conteúdo que estimule esse engajamento.

Uma boa maneira de começar é fazer experimentos das várias maneiras de postar, como inserir perguntas, imagens interessantes com algo do tipo “coloque legenda”, e há também aqueles posts com lacunas, do tipo, “se eu ganhasse um milhão de reais eu faria…”, sempre pense em algo estratégico para o seu negócio.

  1. Mensure sempre os resultados e faça testes

Qualquer estratégia de marketing, e isso vale para as campanhas e para a produção de conteúdo para o Facebook, só consegue sobreviver quando ela é acompanhada de perto, afinal, através desses dados é possível decidir os passos seguintes a serem tomados. Portanto, em vias de regra, é necessário planejar, experimentar, mensurar e repetir, e nesse momento, o Facebook Insights são muito importantes.

Outras dicas essenciais

Junto com essas etapas já mencionadas, é muito importante que o empreendedor também preste atenção em todos os detalhes, e isso inclui:

  • Tipos de conteúdo para atrair os clientes.
  • Definição clara dos objetivos de comunicação.
  • Conteúdo que seja realmente útil para as pessoas, e que sejam ao mesmo tempo estratégicos.
  • Investir sempre em elementos visuais (já mencionados acima).

Como gerar resultados com o Facebook?

Quer ser bem sucedido no Facebook? Seja relevante para o seu público, o grande erro das empresas é acharem que basta falar dos seus produtos e serviços que os clientes irão correndo realizar compras e serem fidelizados, a grande verdade é que a maioria das pessoas não possui real interesse em comprar, e precisam ser estimuladas, mas ninguém deseja ser “obrigada” a adquirir nada, todo esse processo precisa ser natural, ou seja, a empresa precisa sempre se preocupar em ser relevante e não apenas vender por vender.

Um bom exemplo de cases bem-sucedidos em redes sociais é a Nike, em nenhum momento a empresa se preocupa em falar dos seus produtos em si, na verdade, o seu grande objetivo é vender um estilo de vida, ou seja, as pessoas que usam Nike acabam se sentido especiais, e fazendo parte de uma comunidade maior.

Um dado importante é que a grande maioria das pessoas estão preocupadas nas vantagens que receberam ao comprar um produto ou serviço, e não na sua parte técnica, e é justamente isso que as marcas precisam entender na hora de criarem conteúdo para o Facebook.

 

Tem alguma dúvida ou sugestão? Entre em contato conosco!

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

Conheça o tripé do Inbound Marketing: automação, digital e conteúdo

inbound-marketing

Quer saber como aumentar a visibilidade de sua marca e obter a melhor (e maior) fatia do mercado consumidor para você? A receita está no Inbound Marketing – um sistema de publicidade que investe em produção de conteúdo altamente especializado e relevante para um determinado público (no caso, o seu público-alvo, os consumidores que você desejar atingir), que, de tão significativo e necessário que este conteúdo se torna, ele passa a ser constante e frequentemente buscado por este público específico.

Ou seja, você não apenas oferece um produto e constantemente relata as qualidades desse produto; você mostra primeiramente o que o consumidor tanto deseja e o produto fica ali, embutido, é vendido com naturalidade, porque você – a sua marca, o seu produto – se fizeram necessários. Então, o consumidor é quem passa a ir atrás de você, e não o contrário.

 

Internet é a terra do Inbound marketing

 

No mercado, o Inbound marketing é conhecido por ser o elemento capaz de produzir um tipo de conteúdo exclusivo e de extrema relevância ao consumidor em cada determinado nicho.

Portanto, quem (a empresa, a marca) pratica este tipo de marketing costuma “viciar” os consumidores nos conteúdos gerados, o que faz com que o consumidor realmente acredita necessitar desse conteúdo, e necessitar – consequentemente – do produto e da marca que está por detrás deste conteúdo tão relevante e tão exclusivo.

Para criar todo esse imaginário, e fazer com que o consumidor simplesmente acredite que a vida dele ficou diferenciada ao consumir aquele determinado produto, o Inbound marketing é uma ferramenta publicitária que opera simultaneamente em três frentes – a automação de marketing, o marketing digital e o marketing de conteúdo. Quer compreender mais a respeito.

Então, vem com a gente, e conheça o tripé do Inbound marketing: automação de marketing, marketing digital e marketing de conteúdo; os pilares que – juntos – transformaram a sua marca em um sucesso de liderança.

Conteúdo de alto nível e que traz o cliente até você

O ponto de partida do Inbound marketing é a atração de gente, de público-alvo; ou seja, o aumento do tráfego do seu site na internet. E este instrumento de marketing geralmente faz isso utilizando-se de mecanismo de SEO, uma técnica de buscas internet por meio de navegadores de buscas que mostra às pessoas quais são os principais sites a respeito de um determinado assunto.

 

Na prática, grosso modo, as técnicas de buscas de SEO funcionam da seguinte maneira: você digita uma palavra qualquer no Google, o nome de um carro, por exemplo, e ali aparecem diversos sites. Mas porque, afinal, uns sites sempre estão (e estará) em primeiro lugar e outros estão lá em baixo?

 

Quer fazer um curso fod@stico sobre adwords para afiliados e produtores? Nós temos a solução!

 

De acordo com as técnicas de SEO, estudadas e elaboradas por programadores, isto ocorre porque os sites em evidência conseguem utilizar melhor a palavra chave em questão, a palavra que você pesquisou no Google.

Quando estes sites geram conteúdo, escrevem, eles fazem de maneira a destacar bastante, com frequência, a palavra chave. Ao passo que os outros, os sites que estão em último lugar no ranking de acessos costumam utilizar mal esta palavra chave. Por isso, aparecem lá embaixo. Então, na hora de produzir conteúdo, é preciso também pensar em como colocar as tais palavras chaves em um texto. E é por isso que quem produz conteúdo de uma maneira mais elaborada, seguindo as técnicas de buscas e ainda conseguindo fazer bons projetos textuais, acaba por se destacar na internet.

Em todos os lugares, ao mesmo tempo

Outro aspecto crucial do Inbound Marketing que o destaca em meio as outras formas de publicidade é o fato de ele – o Inbound Marketing – optar por atingir, ao mesmo tempo, diversas frentes publicitárias: blogs, podcasts, vídeos, eBooks, flyers, banners, posts, telemarketing, rádio, televisão, links patrocinados, compras de espaços publicitários em jornais e revistas, redes sociais, fidelização de clientes; com o foco prioritário nos tipos de publicidades feitos na internet.

 

tripé do inbound marketing

 

E como a internet está presente em todos os locais e lugares e praticamente tudo já está na internet, os conceitos de Inbound marketing estão, cada vez mais, adaptáveis, versáteis, modificáveis e acessíveis, para todo e qualquer ramo de empreendedorismo. Com etapas que conseguem envolver o consumidor, esta ferramenta transforma marcas em verdadeiros sucessos de liderança. E entre os pilares básicos para esta liderança estão as seguintes fases – atrair, converter, relacionar, vender e analisar.

Invista em conteúdo de qualidade e em marketing digital, o tripé do Inbound Marketing

Primeiramente, você precisa atrair clientes por meio de um site que tenha alta visibilidade. Para isso, como já orientamos, o conteúdo produzido e publicado precisa ser extremamente atrativo, interessante, prioritário, fundamental para a vida deste cliente. E sim, vale à pena, investir em geração de conteúdo de qualidade. Portanto, invista, você sairá lucrando.

Depois disso, da atração dos clientes, depois de o seu site ter se tornado visível e comentado e bem procurado na internet, você precisa converter estas visitas em vendas. Bons exemplos de como se fazer essa conversação seriam as criações de ofertas e de promoções de seus produtos em seu site. E isto gera vendas.

Agora, é necessário que você se relacione com este público, clientes e consumidores em potencial. E para isso o bom marketig digital,o email marketing, é uma das ferramentas que mais funciona. Nos últimos anos, o marketing digital se desenvolveu bastante e se aprimorou.

Portanto, não abra mão desta útil ferramenta. Ao contrário, opte por utiliza-la. Emails promocionais para o seu público-alvo podem ser uma boa saída para vender mais e melhor. Outra eficaz ferramenta do marketing digital é a newsletter, uma atrativa newsletter ainda continua (e sempre continuará) surgindo muito efeito na hora de mostrar sua marca ao seu consumidor.

Além de tantas qualidades, o Inbound marketing ainda traz o benefício de ser mais de 60% mais barato do que as outras formas de publicidade, porque ele não se preocupa em catar o cliente, em seduzi-lo; ao contrário, o Inbound se faz necessário na vida deste cliente.

Afinal, ao produzir conteúdo de qualidade e quase que único, o Inbound faz com que o cliente compreenda que realmente necessita daquele produto, então, este tipo de marketing acaba por fidelizar completamente o cliente que o procura.

 

Como conseguir trabalho home office no marketing digital?

home-office-no-marketing-digital

O trabalho home office tornou-se uma forte tendência de mercado, ao longo dos últimos anos. Conforme uma pesquisa realizada recentemente pela Intel e Dell, no Brasil há muitas pessoas que atuam profissionalmente de maneira remota.

Muitos são os benefícios para quem tem a oportunidade de trocar um escritório pelo seu ambiente de casa. Por exemplo, não há desgaste de perder horas no trânsito, se deslocando para o local de trabalho.

Para quem não trabalha com atendimento de clientes ou via videoconferência, também não há preocupação em utilizar uniformes ou trajes sociais. O home office ainda proporciona um maior equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Também dá a chance de se dedicar mais a tarefas de casa.

 

Como contornar desafios atuando como home office

 

Existem alguns obstáculos para quem quer ter sucesso trabalhando no regime home office. Dois desafios em especial merecem a nossa atenção: a organização do tempo e falta de convívio social.

Um caso clássico, é o do indivíduo empolgado com a possibilidade de não precisar acordar cedo, podendo trabalhar no horário que bem lhe aprouver. Aqui, um fato: isso é somente ilusão.

Estudos compravam que mais que uma obrigação, o hábito de acordar cedo é mais saudável e totalmente aconselhável, inclusive para quem trabalha em casa.

 

Trabalho em casa com marketing digital? Conheça a franquia mais barata do Brasil!

 

Há exceções, mas em geral, pessoas que dormem bem durante à noite, tem uma melhor aproveitamento do ciclo do sono. Também desfrutam de maior disposição para realizar suas tarefas diárias.

Organizar uma rotina de trabalho é fundamental inclusive para profissionais liberais. Isso possibilita não só iniciar suas atividades sempre em um mesmo horário, como encerrá-las antes e poder aproveitar momentos de lazer ao final da tarde e à noite.

Algumas questões sobre o Home Office no marketing digital!

 

A falta de contato com outras pessoas é outro porém, principalmente para quem é da área de comunicação e criação. Não há como se manter produtivo e com um bom repertório criativo sem contato pessoal, em especial no caso de quem vive só ou é a única pessoa da família a atuar como home office.

 

Leia também: os 8 pilares do marketing digital para empreendedores

 

Uma dica válida para esse caso é a de intercalar momentos de trabalho com pontos de lazer ao longo do dia. Sair para almoçar fora ou marcar alguma reunião externa com clientes são algumas opções.

No caso de pequenos empreendedores que estão começando, e tem uma maior predisposição a querer trabalhar até mais tarde, é interessante dar uma pausa por volta das 18h.

 

home-office-no-marketing-digital

 

Esse horário é um bom momento para se dedicar a alguma prática física, esportiva, assistir algum documentário ou série e, claro, se alimentar. Com as baterias recarregadas, por volta das 20h, é possível retomar o home office e dar atenção a ele até a hora de dormir.

 

O trabalho home office no marketing digital

 

Há diversos caminhos para quem quer atuar na área de marketing digital. A modalidade de trabalho home office é uma delas. Pode-se dizer, inclusive, que ambas estão intimamente relacionadas.

O marketing digital visa dar opções aos empreendedores de explorar as ferramentas disponíveis na internet, em benefício de suas marcas. Consiste em um conjunto de atividades que podem ser realizadas de maneira remota.

Com os avanços da tecnologia, o profissional responsável por colocá-las em prática, basta ter um computador com acesso à rede, o que bem pode ser feito por meio do home office.

 

 

O trabalho remoto no marketing digital pode ser uma solução

 

O mercado da comunicação tem crescido muito no Brasil e mundo afora. Como consequência, também há uma maior número de estudantes matriculados em graduações de marketing e publicidade.

Essa conta fecharia com facilidade se não estivéssemos atravessando uma crise político-econômica que tem afetado o nosso e os demais países do planeta. Como há um maior número de profissionais se habilitando na área, também há uma grande concorrência pelas vagas de emprego fixas, em especial as de grandes agências.

O home office pode ser uma porta de entrada no mercado de trabalho, no caso quem deseja adquirir experiência no ambiente online. Pode também ser a solução para os que possuem um bom currículo e desejam agora começar sua própria agência digital, dentro de casa.

Por natureza, as ações de marketing desenvolvidas via internet geram um custo mais acessível para as marcas. O trabalho home office, por sua vez, não gera os grandes gastos que agências de comunicação de grande porte demandam.

Consequentemente, o profissional de marketing digital que atua em home office, tem a possibilidade de montar orçamentos mais competitivos. Esse aspecto é visto como uma vantagem pelas empresas contratante, principalmente pelas de pequeno e médio porte.

 

Relações modernas no ambiente de trabalho

 

Um dos aspectos positivos do home office, é a alternativa de estabelecer relações abertas de trabalho. Isso pode ocorrer tanto no caso de agências de comunicação, como para empresas que optam por contratar profissionais liberais de marketing.

Atuar como freelancer é não só uma opção como uma preferência para inúmeros profissionais qualificados na área de marketing. De igual modo, para agências, em geral, é vantajoso dispor de pessoas que possam suprir demandas sazonais de trabalho.

Poder trabalhar sem ter de cumprir com protocolos, como o famoso cartão-ponto, faz os olhos das gerações mais jovens brilhar. E não por falta de disciplina, mas simplesmente porque elas encaram a vida e o mercado de trabalho de outra forma.

 

 

Dicas para quem quer começar com home office

 

Para quem possui um site ou um blog com um bom tráfego, participar de um programa de afiliados e alugar espaços publicitários, é uma forma de ganhar dinheiro sem sair de casa.

No caso, de quem quer começar a atuar com criação no marketing digital, há várias opções de sites com vagas de freelancer. Neles, é possível encontrar agências, empresas e pessoas físicas oferecendo projetos nas mais diversas áreas. O mais conhecido no Brasil é o https://www.99freelas.com.br/.

E para quem tem ideias inovadoras, acredita em seu potencial e quer oferecer diferenciais ao mercado, há a opção de começar seu próprio negócio.

Há exemplos bem sucedidos de negócios surgidos de mentes inquietas. Trabalhando em casa e se comunicando via internet, muitos encontraram formas de obter lucros com o marketing digital, sem a necessidade de construir uma agência física.

 

 

Tudo o que você precisa saber para ter um e-commerce de sucesso

e-commerce-de-sucesso

Vendas pela internet, ou o popularmente conhecido e-commerce, é um dos mercados que mais cresce nos dias de hoje. Cogita-se, entre analistas econômicos, que para o primeiro semestre de 2017, este modelo de compra e vendas crescerá 18% em relação ao mesmo período ao ano anterior. Um crescimento muito acima da média do ocorrido em 2016, em que as vendas pela internet aumentaram somente 5% em relação a todo o mercado de consumo de lojas físicas. Ou seja, um e-commerce de sucesso é garantia de bons lucros!

 

Conheça a LeadLovers, a melhor plataforma de automação em marketing digital!


Nesta balança crescimento/retração, o pêndulo do e-commerce sobe e leva com ele uma fatia significativa de consumidores, porque para o atendimento nas lojas físicas o cliente enfrenta filas, enfrenta trânsito até chegar à loja, passa por toda uma burocracia, por vezes se chateia com a insistência dos vendedores, não encontra o produto desejado, perde muito tempo com distrações dentro da própria loja e sai insatisfeito. Mas para isso, para vender mais pela internet, precisamos de um ecossistema específico!

Porém, como nem tudo são flores, a internet ainda enfrenta – aos olhos de muitos consumidores – o dissabor de ter a própria imagem ligada a algo meio duvidoso, com pouca credibilidade.

 

E-commerce de sucesso, começando pela confiança!

 

Muitos consumidores temem, portanto, colocar os próprios dados bancários na internet para hora de finalizar uma compra e estarem, futuramente, se colocando à mercê de golpistas e bandidos. Então, quem é empreendedor e deseja investir em e-commerce de sucesso, precisa prioritariamente, afastar esse temor – que, sem dúvida, é um dos maiores – que os consumidores ainda possuem acerca da internet.

No entanto, mesmo com todas essas dúvidas, as vendas pela internet não param de crescer. Em 2014, por exemplo, este mercado faturou aproximadamente 16 bilhões, de acordo com o Sebrae. Para 2017, com um intervalo de três anos, acredita-se que este mercado fature imensamente mais. E se você é empresário e quer saber como lucrar com isso, nós ensinamos agora mesmo, os primeiros passos para obter um e-commerce de sucesso.

Achar o produto em 3 segundos, eis a chave do sucesso

Então, venha com a gente e anote aí estas dicas preciosas para fazer o seu negócio na internet decolar. Agilidade e praticidade na hora de o consumidor encontrar o produto – eis aí o primeiro passo para que o seu empreendimento, na internet, tenha sucesso. Saiba que ninguém gosta de entrar em um site e ficar clicando daqui-dali para achar o que deseja.

Se um consumidor precisar dar mais do que três cliques em um site para que ele encontre o que está desejando, ele (consumidor) irá para de procurar, irá sair do seu site e optará por buscar o que deseja no site da concorrência. Então, na hora de colocar um produto à venda pela internet por meio de um site, torne este site eficiente, rápido, ágil, veloz.

Nada de enrolação. Nada de “segurar” o consumidor com tantos cliques, com tantas explicações, seja objetivo. Pois ninguém quer perder tempo. Opte por aplicativos de busca úteis e funcionais, como uma espécie de prateleira, com muita organização.

Ícones e boas apresentações em aplicativos atraem clientes

Um dos modelos que costuma dar muito certo e agradar em cheio quaisquer públicos-alvo é a utilização de ícones ilustrativos para agilizar a compra. O ícone carrinho de compras, por exemplo, é muito fácil de ser utilizado, e instalado. Quem compra pela internet quer um feedback constante porque precisa saber se a compra está ou não está dando certo.

Então, o carregamento das páginas precisa ser o mais rápido possível, geralmente três segundos é o tempo ideal. Outra dica importantíssima para que o seu negócio de vendas pela internet seja um sucesso é ficar de olho em como o seu site está sendo adaptado para tablets ou aparelhos celulares, porque nos dias atuais, as pessoas estão cada vez mais mobiles, realizando cada vez mais compras por meio de aparelhos móveis.

Afinal, durante o dia a dia corrido, muitas vezes ninguém consegue parar em frente a um computador para finalizar uma compra, e opta mesmo pelo uso do aparelho celular.

 

e-commerce-de-sucesso

 

E-commerce de sucesso precisa ser responsivo!

 

Porém, é frequente a reclamação dos consumidores quanto a apresentação de produtos nos aparelhos móveis, isto porque geralmente os empreendedores relegam estes a segundo plano, e não conseguem (ou não acham importante) adaptarem os sites para os mobiles.

E o cliente quer as mesmas informações de um site convencional para os aparelhos celulares. Então, você empresário que investe em e-commerce, saiba que é preciso checar a apresentação deste em aparelhos móveis.

Cumpra os prazos de entrega e os acordos feitos

E se quer passar credibilidade, faça uma boa apresentação de seus produtos. Pois a máxima que diz que a primeira impressão é a que fica ainda está valendo, viu.

Portanto, tire fotografias de nível profissional, com alta qualidade, com precisão. Nada de fotos embasadas, mal iluminadas, mal feitas. Boas fotografias de seu produto renderam melhor visibilidade, e isto, com certeza, atrairá clientes.

E para conseguir total confiabilidade, nada de descumprir o combinado. Se está no site que a sua empresa pode fazer a entrega em determinado dia, cumpra este prazo. isso deve ser pensado já no planejamento do funil de vendas no marketing digital!

 

mantenha a confiabilidade!

 

Se está no site que a compra pode ser parcelada, cumpra este acordo. Pois o combinado não sai caro. E o contrário sim. Porque o descumprimento de acordos e prazos faz a sua marca cair em descrédito na boca do consumidor, e daí em diante, o fracasso pode estar próximo a você. Então, cumpra o prometido.

Se já faz isso, agora é a hora de se mostrar ainda mais para o seu público-alvo. Melhore a visibilidade de sua marca, crie logotipos, banner, imagens atrativas que o ajudarão ainda mais a vender o seu negócio. E se quer mesmo deixar a sua empresa competitiva e bem vista para toda a internet, opte por mecanismo de SEO, um sistema de buscas que coloca a sua marca em visibilidade, que melhora a sua imagem, que facilita as buscas, que diminui o índice de rejeição da sua empresa na internet.

E fique de olho na legislação porque existem regras e normas, tanto para os empreendedores quanto para os clientes. Prazos de troca e políticas de troca precisam estar bem definidos e claros em seu site, afim de que posteriormente o cliente não se sinta lesado ou enganado por você e pela sua marca. Então, muita atenção a estas normas, elas são fundamentais.

Tem alguma dúvida ou sugestão?

Entre em contato conosco!

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

 

Os 8 pilares do Marketing Digital para empreendedores

marketing digital

O mundo – literalmente – migrou para a internet. E hoje em dia, quem não está na internet, simplesmente não “existe”. Se você é comerciante, empresário, realiza algum tipo de serviço específico (esteticistas, médicos, advogados, nutricionistas, ortodontistas, veterinários, produtores culturais, entre outros), a internet precisa estar presente em seu dia a dia e em seus vínculos profissionais. Caso contrário, há o enorme risco de você ficar absolutamente desatualizado, perder clientela, não conseguir expandir seus negócios e perder feio para a concorrência, que é voraz e determinada na hora da conquista por fatias generosas do mercado consumidor.

Então, não se engane, estar na internet, para o mundo dos negócios na atualidade, é imprescindível. Mas até para entrar ou mesmo se manter em liderança dentro da internet é preciso utilizar métodos precisos e eficazes, porque não basta, por exemplo, ter um site e não atualizá-lo com a frequência que a nuvem exige. Ou publicar posts imensos nas redes sociais, ao invés de frases curtas e acessíveis e que permitam a compreensão de todos.

Então, para estar na internet e para alcançar o sucesso, melhorando as vendas (e a lucratividade, óbvio), é necessário saber que caminho, afinal, trilhar. Portanto, saiba que, até para a produção e publicação de conteúdos nas diversas redes sociais, há maneiras específicas de se realizar estas produções e publicações.

Cada produto, por exemplo, requer um tipo específico de linguagem. Se você tem um escritório de advocacia ou você é um advogado, a sua linguagem é diferente da linguagem de um músico, os seus posts serão diferenciados e para públicos diferentes.

Públicos diferentes pedem linguagem diferentes na internet

Isto quer dizer que a linguagem da internet – apesar de universal – também é específica e necessita de ser elaborada, com precisão, antes de ser postadas, e isso independe do público a que irá se referir. E são exatamente estas especificidades que fazem parte de uma área da publicidade – o marketing digital.  Achou complicado? Quer entender um pouquinho mais de marketing digital para melhorar o seu negócio? É empreendedor e não entendeu ainda como a internet pode auxiliar o seu empreendimento?

Vem com a gente então conferir os 8 pilares do marketing digital para empreendedores. Nestas dicas, você, empreendedor ou prestador de serviço, vai aprender utilizar-se de todos os benefícios do marketing digital para melhorar a visibilidade da sua marca, alcançar melhor o seu público e aumentar a lucratividade da sua empresa. Estas orientações servem para todos: para quem está iniciando no marketing digital e quer entende-lo rapidamente ou mesmo quem já o pratica com frequência e deseja checar se está ou não no caminho certo.

Porque, mesmo a lição mais simples, aquela que nós utilizamos ainda no início de nossas carreiras, precisa ser checada, conferida, reelaborada, reinventada. E isso, com certa frequência. Caso contrário, caímos na vala dos empreendedores que não se reciclam, não inovam, não se dinamizam, aqueles que ficam parados no tempo. E você já sabe o que acontecem com quem fica parado no tempo – simplesmente cai no esquecimento.

Afinal, quem não é visto, não é lembrado. E a internet é somente mais uma ferramenta para ser visto. Porém, é a ferramenta do mundo moderno, a mais utilizada, a mais versátil, para onde já migraram as mídias convencionais e para onde – cada dia mais – migra toda a publicidade mundial. Então, você também precisa estar e ser visto nesta grande janela de visibilidade – a internet.

Pesquisar é o primeiro passo

O primeiro pilar para quem vai se utilizar do marketing digital para empreender é a pesquisa. Antes de produzir conteúdo, de postar, de publicar; pesquise. E se você pensa que pesquisa é perda de tempo, você está equivocado. Pesquisar é o primeiro – e talvez um dos mais importantes – passos para aqueles que querem a eficiência do marketing digital para os próprios negócios.

Pesquise com muita cautela e precisão quem é o seu público-alvo, quem você afinal deseja atingir, e saiba tudo a respeito deste público: idade aproximada, o que consome, gostos e afinidades, de onde retira a própria renda, como costuma gastar dinheiro, como costuma se informar, quanto tempo passa em frente à TV, quanto tempo usa diariamente as redes sociais, como usa as horas de lazer, que tipo de filme ou livro ou série gosta de assistir, preferências esportivas e políticas, entre outros.

 

4a12a248d81810285f0f0a207359f621

 

Observe, saber alguns destes detalhes o colocam à frente de outros empreendedores na hora de lançar uma nova mercadoria ou objeto-desejo para o consumo. Se você vende produtos para jovens (roupas, por exemplo), você precisa entender a linguagem deles.

Chegou a hora de produzir o conteúdo

Pesquisou? Então parte para o segundo passo: a produção de conteúdo. E esta produção, como já relatamos, precisa estar de acordo com o seu público-alvo. Um adolescente, por exemplo, não tem a paciência de ler e acompanhar análises econômicas ou análises científicas muito extensas como um adulto tem. Se você quer atingir o público pré-adolescente, opte, por exemplo, por linguagem visual ampla: banner com fotografias bem coloridas e alegres, frases curtas, linguagem da internet, menes, etc.

 

Agora, se pretende conquistar um público seleto, por exemplo, dentro da medicina tradicional, procure a produção de bons e variados artigos científicos, de envergadura acadêmica.

Se o seu objetivo é vender turismo, você precisa escrever de maneira leve e agradável, que mais pareça e se apresente ao leitor como uma espécie de diário de viagem, com fotografias que explorem os pontos turísticos, o mercado consumidor e a natureza ao redor destes locais turísticos. Viu como é importante a pesquisa prévia antes de começar a produção de conteúdo? Sem a pesquisa você não saberia o que o seu público-alvo quer e deseja, e seu conteúdo seria raso, fraco, e consequentemente, ineficaz.

Planejamento, interação e observação – eis as fórmulas do sucesso

Conteúdo em mãos, está na hora de fazer um bom esboço de seu planejamento. Diz-se esboço porque este planejamento pode ser, posteriormente, alterado. Então, planeje agora como pretende publicar (postar) este conteúdo. Qual será a frequência destas postagens, qual será o caminho escolhido (site, blogs, redes sociais, ou tudo junto). Quanto você está disposto a gastar com esta produção. Se vai contratar profissionais, terceirizar este serviço. Faça ainda um prévio cronograma deste planejamento.

 

marketing digital para empreendedores

 

Quarto passo: começar a publicação deste conteúdo, seguindo o cronograma de planejamento. E é aqui que você dará vida a tudo o que foi produzido anteriormente. Quinto passo: está na hora de se autopromover. Afinal, a propaganda continua sendo a alma do negócio. Lembra daquela historinha de que quem não é visto não é lembrado. Pois então? Mostre-se ao mundo, recorra a todos os grupos de whattsapp possíveis e venda a sua marca, se jogue!

O sexto e importante pilar é o da interação com a concorrência. Porque você não pode se isolar não. E tem que conhecer bem o seu concorrente, saber onde ele está, e o que ele faz na internet. E o sétimo pilar é o de medir toda essa movimentação, toda essa sua produção, verificar se houvera aumento de vendas, de lucro. Verificar o que os clientes mais comentaram na internet. Ao final, já no oitavo pilar, você ainda tem a possibilidade de novamente se reinventar, de melhorar tudo isso, caso algo tenha saído errado.

 

5 estratégias de marketing digital para vender mais

As estratégias de marketing digital podem ser utilizadas para aumentar as vendas de determinada empresa, independente do ramo de produtos que oferece. Dentre elas, existem possibilidades diversificadas justamente pelo fato de as pessoas procurarem as estratégias para objetivos diferentes, portanto cada um deles pode ser resolvido a partir da forma que melhor se encaixe no previsto.

Para quem ainda não tem conhecimento na área, compreender a importância do marketing digital para aumentar as vendas e oferecer novas possibilidades de encontrar os mesmos produtos, porém sem a necessidade de uma loja física, é importantíssimo para que os clientes adquiram produtos nesta determinada empresa por ela trabalhar com metodologias atualizadas.

marketing-digital-2

Leia também: Como vender mais pela internet

Entre as estratégias de marketing digital, quais as mais conhecidas e que podem geram resultados em curto e longo prazo?

A primeira das estratégias de marketing digital é o planejamento, já que será a partir dele que o sucesso profissional acontecerá. Com o planejamento, toda a estrutura pode ser pensada com base nos objetivos da empresa e assim, seus resultados terão êxito. Outro ponto importante com relação a esta estratégia é que se uma das partes envolvidas no planejamento não cumprir o esperado toda a empresa pode ser prejudicada. Portanto, se foi planejado que o marketing digital seria elaborado através de um blog criado por um dos funcionários da empresa, especialista na área, esta etapa deve ser cumprida ou interferirá em todo o processo.

Analisar fatores é a segunda estratégia que deve ser levada em conta. Quando se tem em mente o que se espera com aquela campanha, fica fácil analisar se aquilo dará ou não resultados positivos. Isso porque as análises são feitas a partir de pesquisas relacionadas a conhecer o público alvo e perceber em meio ao mercado se o produto que será oferecido terá espaço, ou seja, se a concorrência quanto a ele já não está saturada.

Elaboração do conteúdo

Após analisar os fatores, tem-se então a terceira parte do marketing digital: elaborar conteúdo inteligente para este público alvo específico. Se for produzido qualquer tipo de conteúdo sem essa preocupação quanto ao público que se quer atingir, provavelmente a intenção de convencimento não será alcançada. Quanto mais específico este conteúdo for e voltado ao perfil de seu leitor, depois possível cliente, maiores as chances de convencimento.

As estratégias e ações utilizadas também são essenciais para a concretização de ações. Isso porque muito se espera de um produto quando se compra por exemplo. Esta é a etapa em que o marketing digital focará nas ações e onde elas serão inseridas. Isto significa que se a empresa deseja publicar seus conteúdos na rede social Facebook, ela deverá criar ações que realmente façam com que as pessoas sintam vontade de adquirir os produtos. De nada adianta criar um perfil sem nenhuma rotação de visitantes. Nesta etapa é necessário fazer uma ligação entre a estratégia e a ação que será realizada para concretiza-la.

A melhor das cinco estratégias: o bom relacionamento com o cliente

A quinta e última dica de marketing digital e justamente a melhor de todas, é saber trabalhar com a fidelização dos clientes, ou seja, fazer com que eles adquiram o produto uma vez e permaneçam fieis ao produto ou à empresa. Para que esta estratégia tenha resultados positivos, os clientes passam a ser bem tratadas desde o primeiro contato feito entre as partes. Então, antes mesmo de o cliente procurar a empresa, ela pode, através do marketing digital, divulgar possibilidades que proporcionem os conteúdos antes mesmo dele procurar. Um exemplo se encontra na criação de sites empresariais, onde constem os materiais informativos e estes estejam de fácil acesso.

O bom relacionamento com o cliente também ajuda a proporcionar uma imagem positiva de empresa perante outros clientes. Isso porque se alguém gostar dos produtos contratados e atendimento que recebeu, fará uma propaganda positiva que pode ajudar a conseguir mais clientes através da indicação. Do contrário, as indicações serão negativas e podem inclusive fazer com que a empresa perca clientes, que ao ouvirem o lado ruim da instituição, não desejarão adquirir os produtos da mesma.

Este tratamento diferenciado com relação a este consumidor chama-se fidelizar e é necessário porque manter um cliente em uma empresa é muito mais barato e inclusive fácil, do que adquirir clientela nova. Isso porque se a instituição conseguir manter um número de clientes mensais, por exemplo, não precisará correr atrás de mais consumidores, já que os fixos conseguirão manter a base de vendas.

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

5 exemplos de marketing de guerrilha

O marketing de guerrilha é uma estratégia utilizada pelas empresas com o intuito de, através de uma propaganda, impressionar o público que terá contato com ela. Os exemplos de marketing de guerrilha podem ser observados nos mais diversos espaços: em placas, um vídeo publicado na internet, folder entregue na rua ou no próprio produto adquirido. Isso porque esta estratégia de marketing é conhecida por passar uma mensagem ao consumidor que não será mais esquecida, de tão direto ao ponto que foi.

Porém, alguns cuidados devem ser cuidados para que o marketing de guerrilha, apesar de específico, não acabe sem resultados. Uma delas está justamente em conhecer o público para o qual se está esperando divulgar o produto. Quanto mais criterioso ele for, melhores deverão ser pensadas as estratégias utilizadas para convencê-lo de adquirir determinado produto. Criar um marketing de guerrilha totalmente diferente dos que já estão no mercado é outro ponto relevante, já que como chamam a atenção, dificilmente não são percebidos por alguém e se for elaborada uma espécie de cópia, grande parte dos consumidores perceberá e pode não adquirir o produto pela falta de originalidade.

Cuidar com o quanto as informações inseridas podem causar o envolvimento de emoções também deve ser pensado, já que apesar de este ser um objetivo deste tipo de marketing, exagerar pode não ser um ponto tão positivo assim, já que poderá fazer com que se passe uma informação equivocada sobre o produto ou a marca. Depois de se tomar cuidado com todos estes pontos, é necessário entender que os resultados precisam ser avaliados, já que de nada adianta concluir o processo apenas com a divulgação do marketing de guerrilha se não se sabe se ele realmente surtiu efeito para determinada parcela da população.

planejamento-marketing

Leia também: Nômade digital, entenda como funciona

Exemplos de marketing de guerrilha podem ser vistos onde?

Ao se pensar em cinco exemplos de marketing de guerrilha nos vem em mente marcas famosas, como é o caso da Coca-Cola, com as sua propagandas sempre muito chamativas e diretas e até algumas do ramo fast food. A partir destes exemplos, podemos contatar que tanto em um caso, como no outro, resultados são gerados. Isso porque, nem sempre é o sabor de cada um dos exemplos que leva à compra, mas muitas vezes, o fato da empresa ser tão conhecida assim, por conta do comercial de natal ou das imagens representativas que com o uso das cores e formas, nos permite querer adquiri os lanches, no caso dos itens comentados.

Além dos dois exemplos de marketing de guerrilha, temos ainda a opção de criação do produto de acordo com o seu formato. Isso significa que uma pessoa que goste muito de animais, já pode adquirir o acessório na forma do bicho ou com a sua imagem estampada. Esta estratégia criada pela empresa se torna um marketing de guerrilha porque automaticamente, quando a pessoa sair na rua com sua bolsa personalizada em forma de cachorro, por exemplo, deixará claro que aquele é um animal que gosta, sem precisar adicionar maiores informações, já que isto ficará visível.

Chamando a atenção dos clientes

Outra opção seria a elaboração, por parte da empresa, de objetos gigantes representando um dos produtos vendidos naquele espaço. Normalmente inserido em um local de grande visibilidade, algumas vezes inclusive na frente da loja física da instituição, o objeto costuma chamar a atenção por ser uma cópia perfeita do produto vendido, porém gigante. Empresas de diversos departamentos utilizam a estratégia por ela fazer com que aquele produto em questão, passe a ser conhecido ainda mais e adquira mais vendas do que o normal.

Como quinto exemplo de marketing de guerrilha, temos as empresas que para mostrarem as vantagens de seus produtos, produzem um conteúdo baseado em imagens do antes e o depois da utilização. Algumas, inclusive, conseguem elaborar estas campanhas com tanta perfeição, que ao observar esta estratégia o cliente acredita fielmente que com ele os resultados serão os mesmo. Este exemplo é de utilização muito comum por marcas de produtos para o cabelo e também que envolvem a estética, como a transformação do corpo após o uso de determinado produto. As imagens são conhecidas por proporcionar uma reação imediata ao consumidor, o que normalmente não ocorre com os textos. Isso porque o psicológico tende a ser influenciado por casos reais e mesmo que aquelas pessoas mostradas nas propagandas tenham sido adaptadas na forma digital, esta representação é tão perfeita, que faz com que o consumidor passe a acreditar no que vê.

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

Planejamento de marketing, o que não pode faltar?

Fazer o planejamento de marketing certo pode ser a solução encontrada por muitas empresas para a resolução de problemas financeiros. Isso porque saber planejar suas estratégias da forma adequada faz com que seus processos sejam concretizados com a opção da compra e assim, não acabe no processo da divulgação, o que muitas vezes acontece quando ela não é bem elaborada.

Um dos principais problemas presente no planejamento do marketing é o dele pular etapas. As empresas, algumas vezes, devido aos graves problemas que vem acontecendo com relação às vendas, acabam querendo encontrar resultados rápidos para problemas que deveriam ser resolvidos em longo prazo e não imediatamente. E é justamente nesta tentativa de ir direto para a parte da venda, que a instituição perde clientes ou faz com que eles efetivem apenas uma compra e parem por aí, sem passar a fidelizar seus serviços neste mesmo local.

marketing-digital

Leia também: Como usar o marketing de conteúdo para conseguir clientes?

Quais são as etapas do planejamento de marketing?

O planejamento de marketing divide-se em diversas etapas e uma das iniciais se encontra na análise do mercado. Isso porque é necessário entender o público com que se quer trabalhar, para então perceber que, conhecendo-o, fica mais fácil para a instituição vender o produto certo e não algo que o mercado já está saturado, devido à grande concorrência. Nesta etapa do planejamento inclui-se a questão do conhecimento dos clientes, já que sem este conhecimento, não será possível conquistar o público através da propaganda do produto.

Estabelecer cronogramas com datas inseridas também é fundamental, uma vez que com este procedimento é possível criar-se metas, que serão cumpridas de acordo com as ações escolhidas. Com o cronograma, nenhuma etapa ficará fora do que se espera ou se deseja alcançar. Se existem três meses para dobrar o número de acessos em um site, por exemplo, os profissionais responsáveis pelo local poderão ter um planejamento do marketing de conteúdo, de forma que ele não seja todo inserido em apenas uma semana e sim que sua sequência seja publicada de acordo com os três meses disponíveis.

Rotina de publicações

As ações feitas a partir deste cronograma devem ser cumpridas rigorosamente dentro dos combinados ou então dificilmente o processo inteiro terá sucesso, uma vez que um dos profissionais tenha falhado quanto ao que combinou durante o planejamento. Quando se alimenta de conteúdo um blog ou site, por exemplo, normalmente é criada uma rotina de publicações diária ou semanal e é a partir desta rotina que os leitores passarão a visitar este meio de divulgação da instituição.

Portanto, um profissional que não publique mais conteúdos, estará tirando da empresa o internauta que já frequentava aquele espaço, já que ao acessar e perceber que não tem novas informações, não perderá mais tempo procurando e possivelmente achará outro espaço que possua informações similares e inseridas com frequência. Depois, se a mesma quiser reativar as publicações, mesmo que volte a estabelecer um prazo para elas, terá que inserir novos chamarizes para que aquele público que já costumava procurar pelo conteúdo queira voltar a acessar a plataforma.

Duas peças fundamentais no planejamento de marketing: monitorar os procedimentos e saber se relacionar com os clientes.

Depois de todo planejamento feito e as ações acontecendo, é necessário saber monitorá-las. Do contrário, os resultados se tornarão momentâneos e assim não possibilitarão formas deste cliente continuar adquirindo produtos com sua empresa, já que ele não é visto com um diferencial.

Monitorar é preciso porque a empresa investe no marketing para ter melhorias e não só porque tem dinheiro sobrando e não sabe onde investi-lo. Desta forma, ao se buscarem resultados, cada etapa do marketing pode ser fiscalizada para que se tenham bons resultados e se entendam quais são os processos de marketing que têm gerado maiores possibilidades de lucro com custos não tão elevados.

Uma possibilidade de monitoramento é utilizar o ROI, retorno sobre o investimento, para isso. Desta forma, será calculado quanto a empresa ganhou já descontando as despesas que a levaram para este número. Isso significa que se o valor de vendas atual está em três milhões e um milhão é gasto mensalmente em publicidade e um milhão na fabricação do produto, o ROI será de um milhão. Se este retorno sobre o investimento estiver muito baixo, com este controle é possível alterar as formas de propagação da empresa e assim, melhorar os valores recebidos.

Se relacionar bem com o cliente também é peça chave, uma vez que as empresas sabem que manter um cliente é muito mais barato do que adquiri um novo e para que ele seja mantido não é necessário apenas realizar um processo de venda excelente, mas também manter contato depois através da estratégia conhecida como pós-venda.

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]